, ,

5 práticas de SEO que você faz errado

É muito comum cometer estes erros quando você começa um projeto online, seja ele um blog ou seu próprio site, e é muito provável que neste momento seu projeto esteja com os erros citados aqui.

Se você sabe para que uma boa estratégia de SEO pode ajudar o seu site a ranquear melhor nos mecanismos de busca, você já imagina que deve se preocupar em corrigir os erros o mais rápido possível.

Vamos lá, preparei aqui uma lista de 5 práticas de SEO que você provavelmente está fazendo errado.

Bloquear as pastas de .js e .css no robots.tt

Era muito comum bloquear os acessos à essas pastas, porém, o nosso querido Google agora da uma boa importância para a leitura desses arquivos, de uns anos pra cá o nosso grandioso buscador começou a renderizar as páginas, para saber se o conteúdo do site pode ser aberto em celulares (mobile friendly), se a experiência do usuário é boa, se os acessos das páginas são fáceis, enfim, muitas coisas o Google procura em seu site,  quem havia bloqueado as pastas de .css e .js no seu site, agora precisa remover este bloqueio, se você não sabe como fazer isso, peça ao seu desenvolvedor ou o responsável do seu website para fazer as alterações.

Uma dica bônus dentro desta primeira dica. 

Além de desbloquear os acessos, vá ao Google Search Console, na opção de testar a renderização das páginas, veja como seu site se comporta, teste as páginas do seu site, o Google vai renderizar a página e acusar os erros que você precisa corrigir e realizar as correções.

Não atualizar os linkes quebrados

Cometemos este erro aqui na Kryp, antes o blog fazia parte do próprio site da Kryp e somente depois nós lançamos o Papo de Marketing Digital. Isso fez com que os conteúdos pulicados no blog da Kryp, que estava hospedado no próprio site da agência, tivessem os links quebrados. Isso aconteceu porque nós migramos para o Papo de MKT Digital e os links anteriores com os conteúdos que foram apagados, quebrassem, pois não havia redirecionamento para a url nova, como no exemplo abaixo:

O site anterior:

kryp.com.br/blog/conteúdo-anterior

Site novo

papodemarketingdigital/conteúdo-anterior

Se você não realiza o redirecionamento para a nova url, o usuário vai se deparar com um erro 404, portanto o correto é redirecionar o kryp.com.br/conteúdo-anterior para a url papodemarketingdigital/conteúdo-anterior.

Isso pode acontecer com links internos também, por exemplo, se o seu site não é WordPress e não possui um plugin de SEO que faz o redirecionamento automático e você faz uma mudança no nome da página e consequentemente altera a url da página, a url antiga já indexada no Google vai fazer com que o usuário se depare com um erro 404 também, veja o exemplo abaixo:

Url antiga

kryp.com.br/blog

kryp.com.br/conteudo

No exemplo, mudamos o nome da página que antes se chamava “blog” para “conteúdo”, se a página antiga não for redirecionada, o usuário vai encontrar um probleminha e o Google também não vai entender que a página atual é a mesma página de antigamente com o nome alterado.

Utilize esta ferramenta aqui para fazer uma varredura em seu site e encontrar erros de lincagem interna http://bit.ly/1cU7Fmx

Isso é muito comum em e-commerces, prestem bastante atenção 🙂

Não otimizar as  imagens

Sim, eu sei que é lindo, parece uma puta ideia colocar aquela foto de 3495×3929, porém, da uma segurada, isso deixa seu site MUITO pesado, faz com que a renderização do seu site fique muito mais lenta, tente manter um padrãozinho de no máximo 1080 de largura e utilize a proporção dessa medida para definir a altura, sempre salvando em 72dpi e não em 150 ou 300 ou definições maiores do que essas. 

Sempre salve os arquivos em formato para web, o Photoshop, se você pressionar simultaneamente as teclas ctrl+alt+shift+s, você já irá para o atalho de salvar para web, escolha .jpg para o arquivo ficar mais leve, ou PNG, caso seja um logo ou imagens que definam a identidade visual do seu site, porém, para fotos de produtos de e-commerce, por exemplo, vá de .jpg mesmo.

Pelo amor de Nossa Senhora da bicicletinha, renomeie as imagens, não me suba as imagens com os nomes 0989930.jpg ou então mp10-39.jpg e essas variáveis.

Além de renomear as imagens, no WordPress, por exemplo, há a opção de editar o “alt text” ou “texto alternativo”, insira as informações da imagem nesse campo, isso garante uma boa leitura dos mecanismos de busca e facilita a vida dos deficientes visuais.

Quantidade não é melhor do que qualidade

Esse sem dúvidas é um dos maiores erros de SEO cometidos na vida é achar que a quantidade vale mais do que a qualidade, isso serve tanto para link building quanto para conteúdo e palavras-chave.

Falando sobre Link building, não adianta NADA você ter 3600 sites apontando para o seu, sendo que somente 15 destes sites são relevantes. Por exemplo, você tem um site de venda de tijolos, o interessante para você é que sites, portais e blogs que tratam de construção apontem links para o seu, mas como link building e SEO em geral não custam barato, você opta por falar com aquele seu sobrinho que manja muito dos paranauê, no dia seguinte você verifica o Search Console e repara que está com 386 sites apontando para o seu. A sua primeira reação talvez seja de felicidade, porém, ao verificar os links, você repara que os links vieram de diversas áreas, aquela amiga do sobrinho que possui um blog de moda, o blog de downloads de filmes e séries que o sobrinho tem, entre outros 384 sites diversos e somente 4 deles são realmente relevantes para você. Isso faz com que o seu site não tenha relevância nenhuma perante ao Google e muito menos para os usuários que vieram dos outros sites que apontavam para o seu.

Sobre palavras-chave, não adianta nada você repetir inúmeras vezes a mesma palavra-chave só para tentar ganhar algum posicionamento nos mecanismos de busca. Isso já não funciona mais há um bom tempo e o Google é muito bom em identificar essas técnicas fraudulentas.

Agora sobre quantidade de conteúdo, de fato o Google prioriza quem produz mais conteúdo, porém, ele também prioriza a experiência que o usuário está passando em seu site. Se você publica conteúdos curtos, de 100 – 200 palavras e que não tenham nenhuma ou baixíssima qualidade, pode ter certeza que seu conteúdo é irrelevante.

Como medir isso? 

Um dos fatores é o tempo que os usuários passam em seu site, se o tempo for baixo, seu site é considerado de baixa qualidade, quanto mais tempo o usuário passa, mostra que mais qualidade o site possui. É basicamente isso, explicando de maneira simplificada.

Outro fator é o número de páginas que o usuário navega em seu site. Se a média de usuários ficam 3 minutos em cada página e navegam 8 páginas, seu site é mais relevante do que um site que os usuários ficam 17 segundos e navegam 2 páginas apenas.

Você pode fazer como o Henrique Carvalho, por exemplo, do Viver de Blog. Por lá, ele publica conteúdos enormes, de altíssima qualidade, normalmente a cada 15 dias ou mais. Isso é muito mais eficaz do que você publicar todos os dias ou toda semana um conteúdo que cabe em um tweet e ninguém quer ler.

Olhar para o volume de busca de determinada palavra-chave

Daí você aprende que se entrar lá no Google Adwords, nas ferramentas de palavras-chave, você consegue ver o número de buscas de cada palavra.

O que você faz?

Foco na palavra-chave que tem mais procura né meo!! Bora ranquear pra essa bendita aí!!

NÃO!!!

Antes de tudo, você precisa diferenciar as palavras que você quer e principalmente as que você de FATO PRECISA ranquear, onde normalmente são as long tail e as que normalmente possuem um número menor de buscas.

Reveja bem as suas estratégias, entenda que trazer uma multidão de tráfego para o seu site para uma palavra-chave que não seja muito específica pode ser bom pelo fato de trazer tráfego, porém, pode acabar com o que explicamos logo a cima, o tempo de permanência no seu site, se o usuário que chegou até você não está interessado no seu conteúdo, ele vai sair rapidamente e consequentemente reduzir o tempo de permanência do seu site.

Obviamente um volume de buscas é importante, não adianta nada você pensar em trabalhar em palavras-chave que ninguém procura. Tenha bom senso e pense bem na sua estratégia.

Estes foram os erros mais comuns que eu encontro nos sites que passam aqui pela agência e nos sites que analisamos das pessoas que nos procuram e que provavelmente você deve estar cometendo em seu site.

Pode se tranquilizar, nunca é tarde para mudar, aqui mesmo no PDMKT e na Kryp, estamos realizando as alterações aos poucos, porém, é muito importante identificar onde está o problema.

Gostou das dicas? Não esqueça de compartilhar, se você compartilhar com ao menos 1 pessoa, já nos ajuda muito a levar o conhecimento adiante 🙂

Siga a Kryp nas redes sociais
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *