Marketing de Conteúdo: 5 novas regras

5 novas regras do Marketing de Conteúdo:

#1 Trate palavras-chave como um diferencial;
#2 Construa confiança com transparência;
#3 Títulos são tudo;
#4 Aprenda a guardar e compartilhar apenas o conteúdo que vale a pena;
#5 A inspiração vem de fontes diferentes.

Fique ligado nessas novas regras para não fazer feio na hora de produzir seu conteúdo online! :wink:

Siga a Kryp nas redes sociais

Gestão de Negócios: aulas gratuitas sobre o assunto

Nós temos uma novidade incrível para você que é arquiteto e engenheiro, e quer aprender mais sobre o mundo da gestão de negócios!  

Mas antes de contar, vamos entender melhor o que é isso? 

Gestão de negócios são técnicas específicas que te ajudam a se organizar e gerir um negócio e/ou pessoas de forma eficiente, buscando alcançar o máximo de potencial e sucesso.  

Agora que ficou mais claro, vamos à novidade!! 

Eu, Silvana Carias, tive a honra de participar do curso de gestão de negócios criado pela Kiplaca-Gecil, a melhor empresa de gesso da região de Campinas! Lá eu dei algumas aulas sobre o universo do marketing digital e vendas, de uma forma bem simples e didática, que vai te ajudar a aperfeiçoar suas habilidades na área e crescer junto com o mercado. 

Além disso, o curso também contou com a presença da Alessandra Tavares, coach da Ellune Educação e Negócios. Ela falou sobre gestão, mercado, organização e vendas, e deu dicas legais de ferramentas da área, como o canvas, por exemplo. 

Todas as 7 aulas são muito didáticas e abrangem os assuntos de forma clara e informativa.  

Quer saber qual é o cronograma? Confira: 

  1.  Como me diferenciar no mercado? (Alessandra Tavares) 
  1. Preço Justo X Qualidade (Alessandra Tavares) 
  1. Como gerenciar meus horários? (Alessandra Tavares) 
  1.  Aprendendo a gerenciar pessoas (Alessandra Tavares) 
  1. Como identificar os clientes potenciais (Alessandra Tavares) 
  1. Marketing Digital focado para engenheiros e arquitetos (Silvana Carias) 
  1. Como fidelizar os clientes certos (Silvana Carias) 

Legal, né? E o melhor é que, além de ser totalmente GRATUITO, o curso pode servir para profissionais que não sejam apenas da arquitetura e engenharia, mas que queiram entender melhor como funciona esse universo da gestão de negócios! 

Para participar é muito simples, é só se inscrever no link abaixo! 

Clique AQUI para saber mais!

Pegue o papel, a caneta e boa aula! 😉  

Siga a Kryp nas redes sociais
, , ,

Leads: Como gerar pelo Facebook

Você sabia que o Facebook pode ser uma máquina de geração de leads se você atrelá-lo a uma boa estratégia de produção de conteúdo?  

Você precisa produzir conteúdo de qualidade em algum espaço, o melhor é começar com um blog* (aqui eu te ensino a criar um, mas o Facebook pode ser um grande aliado. Atualmente, 117 milhões de brasileiros possuem conta na rede social, que soma 2 bilhões de usuários ao redor do mundo! Sem dúvida, no Facebook há uma grande concentração de clientes em potencial, por isso, com a estratégia correta, é possível transforma-los em leads!  
Mas antes, vamos entender melhor o que é um lead?

Os LEADS são os contatos qualificados de uma pessoa ou empresa. Ele demostrou em algum meio que está interessado no seu produto ou serviço. 

Lead gerado significa que um usuário que forneceu as informações para contato em troca de algo oferecido pela empresa, como um ebook, por exemplo. Depois que o cliente em potencial fornece essas informações pela primeira vez, ele é convertido em lead e entra no funil de vendas, se tornando uma oportunidade de negócio, já que demonstrou interesse por algo eu sua empresa ofereceu a ele.


Durante todo o funil, você vai nutrir esse lead com informações através da automação de e-mail marketing, para que ele se relacione cada vez mais com sua empresa e possa vir a comprar ao final da jornada de compra.    

Há várias formas de gerar leads, a mais comum é a landing page (saiba mais aqui!). LANDING PAGE é a página de entrada ou de captura por onde o visitante chega até um site. É através dela que conseguimos captar as informações que buscamos dos nossos potenciais clientes.

FACEBOOK LEAD O QUE É MARKETING

Como nas redes sociais é possível estreitar as ações para públicos mais específicos, as chances de atingir pessoas que têm afinidade com sua empresa e podem comprar são muito maiores! Quando você anuncia em redes sociais e faz ações corretas para esse público específico, a quantidade de leads de qualidade que podem ser gerados é absurdamente alta! 

Quer saber como? 

Leads a baixo custo 

Produza conteúdo de qualidade, de preferência gratuitos, como: 

  • Ebooks; 
  • Whitepapers; 
  • Webinars (Dica: Produza webinars tirando as principais dúvidas dos seus clientes já ativos); 
  •  Blog posts; 
  • Vídeos; 
  • Checklists; 
  • Listas; 

FACEBOOK LEAD O QUE É MARKETING

Lembre-se de otimizar corretamente a sua campanha! Por exemplo, se você não possui um blog responsivo**, não deixe o anúncio rodando em dispositivos móveis, desative essa opção. Segmente muito bem as suas campanhas, isso vai te ajudar a investir e atrair apenas tráfego que vai gerar possíveis conversões.  

Crie uma oferta bastante atraente, que faça com que o usuário sinta que vai sair perdendo se não aproveitar aquela oportunidade, como por exemplo: “por tempo limitado”, “só hoje”, “aprenda agora e deixe de perder tempo”, “GRATUITO” enfim, há várias maneiras de criar ofertas atraentes! Basta usar a imaginação e se colocar no lugar do cliente. O que é atraente pra você? O que é invasivo e comercial demais? Pense sempre na experiência do usuário, já que você também é um. 

**Blog responsivo é aquele que possui um layout que se adapta automaticamente para desktop e mobile. O Google leva em consideração o mobile no momento do ranqueamento, sem contar a maioria dos usuários acessam a internet pelo celular!  

Long Tail 

Long Tail ou ‘cauda longa’ é um termo usado para designar nichos de mercado. O nome faz referência a imagem do formato do gráfico gerado: os produtos mais populares chegam ao topo mas, não ocupam um espaço amplo no mercado enquanto os nichos são pequenos. 

FACEBOOK LEAD O QUE É MARKETING

Trabalhe muito bem na nutrição dos seus leads, crie processos automatizados para que eles sejam bem cuidados e instruídos. Você precisa criar um bom funil de vendas pensando nesses usuários que estão chegando agora. O anúncio menos segmentado, te trará muito tráfego e será seu topo do funil. Com uma boa automação, é possível fazer com que os novos leads cadastrados recebam automaticamente os conteúdos das próximas etapas do funil, estreitando e segmentando cada vez mais, através do e-mail marketing.
Para te ajudar a entender tudo sobre automação, temos um ebook sensacional aqui. Ele vai te ajudar muito!

Trabalhar com long tail é ótimo para gerar audiência, o custo normalmente é baixo (apenas compensa se for realmente baixo). Você terá um bom volume de pessoas lendo o seu conteúdo, se for de boa qualidade você terá uma audiência bem alta com um público bem engajado. 

Você precisa entender que, se você consegue gerar 1 cliente pagante a cada 10 pessoas que acessam o seu anúncio direto, no Facebook você pode gerar muito mais tráfego a um baixo custo.

FACEBOOK LEAD O QUE É MARKETING

Por exemplo, esse mesmo 1 lead pode vir a cada 100 acessos em seu conteúdo. Se você paga o mesmo preço por aquisição ainda compensa, pois você terá muito mais tráfego ao mesmo valor, no caso desta conta você gera 10x mais acessos pelo mesmo valor de aquisição. Assim você gera audiência, educa o mercado e as pessoas vão começar a enxergar muito mais a sua empresa. 

Pixel de conversão 

Ao criar um pixel de conversão e adicioná-lo às páginas do seu site (que possui conversões – como uma página de finalização de compra), você consegue ver quem CONVERTEU pelos anúncios do Facebook. E o pixel vai continuar monitorando as ações das pessoas.
Pense que você não está simplesmente fazendo campanhas para ganhar likes, a intenção é converter! Crie um pixel de conversão e indexe-o em sua página de agradecimento, como por exemplo: “obrigado por se cadastrar”. Assim você consegue medir exatamente as suas conversões. 

Testes A/B 

Faça testes A/B, mensure exatamente o que está convertendo. Muitas vezes uma pequena mudança na cor do Call to Action (chamados para ação) já faz com que você converta mais. Só é possível saber isso testando e percebendo o que funciona melhor para atrair seu público. 

As vantagens de utilizar essas estratégias são:  

  • Gerar muito mais tráfego para o seu site;  
  • Leads qualificados;  
  • Educação do mercado;  
  • Anúncios para um público parecido com o que já consome o seu conteúdo;  
  • Maior conversão de vendas. 

São muitas vantagens, está esperando o quê? 

Siga a Kryp nas redes sociais
,

Marketing – 3 motivos para sua empresa terceiriza-lo

O marketing continua sendo um dos investimentos mais importantes dentro de uma empresa, mas, infelizmente, em um momento de crise, é o primeiro a ser cortado. Muitos acreditam que é simples de ser feito, principalmente hoje que ele inclui redes sociais. ”É apenas Facebook”, eles pensam.  

Marketing que funciona é coisa séria, não é simplesmente escrever nas redes sociais ou vender incessantemente. A técnica hoje, mais do que satisfazer um desejo do cliente, tem que atraí-lo e encanta-lo. Mas como fazer? 

A terceirização é sempre a melhor opção, por três simples motivos: 

1. Tempo  

Ao terceirizar marketing digital (saiba mais aqui!), você poupa seu tempo. Essa não é sua expertise, então para que dedicar seu tempo em algo que não sabe afundo, sendo que poderia estar fazendo outras coisas nas quais é bom? Enquanto alguém especializado está responsável pelo marketing, você tem mais tempo para sua empresa, suas ideias, para focar nas vendas, metas e faturamento.  

Além disso, consegue enxergar melhor seus funcionários, entender o que se passa dentro da sua empresa.  

2. Equipe especializada 

Terceirizar, significa deixar o trabalho para quem sabe o que está fazendo. Não é apenas vender, apenas postar no Facebook. As chances de entregar materiais de qualidade são muito maiores, já que a execução é feita por profissionais da área, que possuem acesso à ferramentas especializadas em marketing e vendas.

3. Métricas 

A agência responsável pelo marketing irá fornecer relatórios que otimizam a ação, e permitem a análise do que foi feito até então. Assim é possível entender o que funciona e o que precisa ser melhorado, para que seu dinheiro seja bem investido e traga bons resultados, como é o esperado. 


Percebe a importância da terceirização desse setor? Dedique-se ao seu trabalho e deixe que os especialistas cuidem do marketing para você! 😉

Siga a Kryp nas redes sociais
,

E-commerce – 4 tendências para o próximo período

De acordo com a pesquisa divulgada pelo Google, o e-commerce deve dobrar a participação do faturamento no varejo até 2021, com uma média de crescimento de 12,4% ao ano. Isso significa que, em 5 anos, as vendas online podem chegar a R$ 85 bilhões! Em 2017, segundo Ebit (reputação de lojas virtuais e dados para o mercado online), a previsão era de um aumento de 12%.  

Lembrando da importância do omni channel, que nada mais é do que uma tendência do varejo baseada na convergência entre todos os tipos de canais usados pela empresa (saiba aqui porque a sua empresa deve atender fisicamente e virtualmente). Afinal, consumidores multicanal gastam até 40% mais e são mais fiéis do que aqueles que compram por apenas um canal.  

E-commerce é a abreviação de “eletronic commerce” que, na tradução literal significa “comércio eletrônico”. É um modelo de comércio virtual através de plataformas como computadores, smartphones e tablets, que nasceu juntamente com a internet. 

Você que pretende investir em lojas virtuais, estão listadas aqui 4 tendências para se inspirar: 

1. Omni Channel 

É uma tendência do varejo, como já dissemos antes (saiba mais aqui!), que integra e entrega ao consumidor a experiência de compra multicanal. Não há barreiras entre o online e offline, pois ambos se complementam. Um exemplo clássico disso, é fazer a compra online e retirar no local físico, ou o contrário. 

2. Inbound Marketing 

No começo muitos e-commerce não utilizavam essa técnica, por ser passiva e demorar mais para fechar a venda. Mas hoje a tendência é aumentar o uso, já que a experiência do usuário é muito mais satisfatória através do inbound, afinal, ele não aguenta nem 12 segundos de propaganda no YouTube, quem dirá propagandas diretas o tempo todo, né?  

A venda não é direta, primeiro há o processo de atração do cliente potencial, relação, interação, conteúdo relevante, para que ele sinta necessidade e interesse em comprar.  

Entenda melhor a diferença entre inbound e outbound marketing no nosso ebook. 


3. Inteligência Artificial 

Muitos softwares e plataformas de inteligência artificial tendem a ser mais usados no e-commerce, com o objetivo de reduzir custos e falhas humanas. 

Muitos processos podem ser automatizados, como:  

  • Precificação; 
  • Previsão de comportamento do cliente; 
  • Gestão de inventários; 
  • Detecção de fraudes; 
  • Ações de marketing; 
  • Recomendação de produtos. 

4. Aplicativos Mobile 

Muitos e-commerces pretendem investir em aplicativos mobiles próprios, com outros intuitos, além da representação da loja física, como, por exemplo, interagir, entreter e promover relacionamento entre os clientes. Isso é fundamental, afinal, segundo a pesquisa do Google, a participação dos smartphones no e-commerce será de 41% em 2021. 

Você que pretende ter um e-commerce ou já tem e quer melhora-lo, se liga nessas dicas para não ficar de fora do mercado, que está cada vez mais competitivo! 😉

Siga a Kryp nas redes sociais
, , ,

Marketing Digital – você está investindo corretamente?

Uma das maiores dúvidas da empresa ao cogitar trabalhar com marketing digital é: quanto e como devo investir? 

Para saber se sua empresa está investindo corretamente em marketing, é preciso que você saiba responder as seguintes perguntas:

1. Como sei se estou investindo corretamente? 

Essa é pergunta de ouro! É a primeira coisa que o cliente quer saber ao contratar uma empresa de comunicação e é a primeira coisa nós pensamos aqui na agência: como vamos mostrar os resultados?  

Isso pode ser guiado pelas seguintes perguntas: 

2. Quanto outras empresas estão gastando em marketing? 

De acordo com um estudo feito pela MarketingCharts.com, nota-se que houve um aumento no investimento nos canais digitais, chegando a 59,7% em e-mail marketing, 53,6% em social media e 51,9% em marketing móvel. 

3. Onde as empresas estão investindo offline e online? 

Segundo um estudo realizado pela  Forrester Research, até 2019 haverá um investimento de US$103 bilhões em marketing digital (o número será maior do que o investimento em mídias tradicionais como TV e rádio). 

4. Quais estratégias e táticas de marketing estão promovendo melhores resultados?  

No estudo mais recente realizado pela  eConsultancy, foram listadas as atividades que mais geram ROI (retorno sobre investimento). No topo dessa lista estão: e-mail marketing (68% dos entrevistados consideram bom para o ROI alto), SEO (67% consideram a otimização boa para o ROI positivo) e Marketing de Conteúdo (63% acreditam que é bom para o ROI alto). 

Depois de definir essas questões, temos que alinhar a expectativa e a realidade e definir indicadores de resultados para cada tipo de serviço e ação. Então, por exemplo: em cada planejamento mensal, definimos um objetivo bem claro. Pode ser número de leads, aumento de taxa de engajamento ou número de vendas (depende do caráter do projeto e estratégias proposta).  

Uma tabela no Excel com números diários, por exemplo, é uma ótima maneira de analisar o desenvolvimento do projeto dia após dia, mês após mês e ir definindo novos objetivos e metas.  

Isso tudo deve ser alinhado dentro do tempo que é definido entre você e sua agência. Além de todos esses indicadores, você vai sentir na prática., com as pessoas comentando, falando e provavelmente, te procurando mais! 


 5. O que seria investir corretamente? 

Para investir corretamente, o primeiro passo é entender sobre o seu negócio. Não é apenas saber o que você vende e o preço. Veja bem, é entender tudo! Sobre o mercado, sobre as tendências, sobre seu ticket médio, concorrentes e todo o resto. 

Só com isso muito bem formulado, é que você vai conseguir traçar uma estratégia para investir corretamente. Afinal, se não sabemos para onde estamos indo, qualquer lugar serve, né não? 

Segundo a Forrester Research: 

  • Até 2019, a otimização de sites continuará representando a maior cota, mas o investimento nas mídias sociais irá crescer mais rápido do que os outros canais digitais;  
  • A publicidade online será o segundo maior investimento no período;    
  • Os investimentos em mídias sociais continuarão crescendo em um panorama geral do investimento online, mas essa área irá representar 15% do total (era 6% em 2014);  

A  CMOSurvey fez um estudo em 2015 analisando o orçamento disponível para marketing de acordo com cada segmento e receita, e chegou ao seguinte resultado: 

Segmento: B2B vs B2C 

  • Empresas B2B de produtos – 7.4% de sua receita; 
  • Empresas B2B de serviços – 8.6% de sua receita; 
  • Empresas B2C de produtos – 9.1% de sua receita; 
  • Empresas B2C de serviços – 9.3% de sua receita. 

Receita e gasto em Marketing 

  • Receita menor de US$ 25 milhões gastam 11.1% com marketing; 
  • Receita entre US$ 26-99 milhões gastam 6.9% com marketing; 
  • Receita entre US$ 100 – 499 milhões gastam 4.5% com marketing; 
  • Receita acima de US$ 500 milhões gastam 7.7% com marketing. 

Assim é possível ter uma base e fazer um comparativo com seu setor e receita, para compreender se está gastando o esperado e devido em marketing.  

6. O que a empresa deve evitar ao investir em marketing digital?  

Um erro muito comum que você pode cometer ao contratar uma agência, é achar que ela vai fazer um milagre na sua empresa e que você não precisa mexer uma palha para obter resultados. 

Você tem um papel muito importante nesse processo. Para fazer acontecer é preciso muito desempenho, de ambas as partes! Por exemplo: imagine que você tem uma marca de roupa. De nada adianta a agência fazer um ótimo trabalho de marketing para você crescer no mercado, se a qualidade da sua roupa for ruim, o atendimento da sua loja for mal feito, se o preço não trouxer um bom custo benefício para o consumidor. Percebe que é um trabalho em conjunto? 

Nós da agência entramos com a expertise em marketing, para te levar clientes em potencial, mas finalizar a venda depende de você também! 😉  

Outro erro muito comum é as empresas enxergarem o investimento em marketing como um gasto. Muitas não valorizam e não percebem a importância dessa área, tanto que, em momentos de crise, é a primeira a sofrer cortes. O que nos leva ao último item. 

7. Porque num momento de crise não podemos parar de investir em marketing digital, como geralmente acontece?  

Você já deve ter ouvido o lema do Marketing: é na dificuldade que se encontra a oportunidade. Na crise, enquanto uns choram, outros começam a vender lenços e a ganhar muito dinheiro com isso! Basta escolher. 

Portanto, você precisa ver o marketing como um investimento, não apenas mais uma despesa. Para isso acontecer, você precisa: 

  • Planejar o investimento em cada ação vinculando um resultado claro a ser atingido pela sua empresa; 
  • Medir esses resultados, através de: Custo de Aquisição de Clientes (CAC), Custo de Aquisição de Oportunidades ou Retorno Sobre Investimento (ROI); 
  • Ter um orçamento disponível para o marketing. 

 Depois de responder todas essas perguntas, analisar todos esses dados e expectativas para o futuro, ficou muito mais fácil para você entender como está investindo no marketing da sua empresa. E isso facilita muito a nossa vida aqui na agência, agora que os pensamentos estão alinhados 🙂
Boas vendas! 

Siga a Kryp nas redes sociais
, ,

Omni-channel: por que sua empresa deve atender fisicamente e virtualmente

Omni-Channel. Bonita essa palavra, não? Parece algo muito difícil e complexo, mas não é. Quem trabalha em comércio já deve conhecer o conceito, mas para quem está iniciando agora, é bom explicar a definição desse processo que pode ajudar a aumentar suas vendas. Omni-channel nada mais é do que uma tendência do varejo baseada na convergência entre todos os tipos de canais usados pela empresa.  

Exemplos: – Você comprou um livro através da internet e escolheu a opção de retirar na loja física;
– Você tem um salão de beleza na cidade de Campinas-SP e usa o seu site e o seu Facebook como vitrine a atração do seu público para o atendimento físico.  

Percebe como nesses casos, você pode explorar mais possibilidades de interação?  

Com o omni-channel, o usuário não vai perceber a diferença entre online e offline. Ele integra lojas físicas e virtuais ao consumidor. O cliente pode efetuar os processos de conhecimento, interesse e aquisição seja do virtual para o físico, ou do físico para o virtual, dependendo da necessidade dele. Embora a tendência seja o multicanal, que significa a preferência por compra em plataformas digitais, o ponto físico é muito válido e ele pode ser a chave para a conclusão da venda. 

O local físico necessita de funcionários para atender as exigências e dúvidas do consumidor, no ambiente virtual isso é mais do que necessário. Tanto nas mídias sociais quanto nos sites, um gerenciador de conteúdo e interação com os usuários é fundamental para evitar gargalos, reclamações e soluções de problemas, até mesmo para escutar as demandas e sugestões dos visitantes.  

Digamos que a página inicial e a fanpage do Facebook são “vitrines” das lojas e, elas, assim como o ponto físico, precisam estar cativantes e impecáveis. Para isso, é necessário o trabalho de um social media como produtor, mediador e gerenciador das páginas.  


De acordo com o estudo “Mobile & Online PurchasesCards, Carrier Billing and Third Party Payment Platforms 2015-2020”, serão realizadas em 2018 125 bilhões de transações de comércio eletrônico. O estudo reforça a ideia da valorização do omni channel e modelo de consumo multicanal. Toda a pesquisa tem o objetivo de focar na experiência, atração e atendimento nessas plataformas, com o foco no aumento das vendas.   

  1. Tipos de clientes 

Imagine a seguinte situação: você entra na internet, fica fazendo nada no Facebook, até que se depara com uma loja de roupas. Olha mais fotos da loja, checa os modelos, gosta de alguns, curte a página, favorita e guarda na cabeça para olhar mais tarde e anotar as que gostou.  

Esse tipo de cliente chama-se suspect, ou seja, clientes suspeitos na tradução literal. Eles precisam definir se compram ou não. Eles preferem olhar, pesquisar e observar para depois efetuar a compra. A plataforma precisa ser atrativa para deixar o suspect encantado e com vontade de retornar, dar uma última olhada efetuar a compra. Geralmente, eles preferem ir a um ponto físico para finalizar lá, gostam de ver a roupa ao vivo, provar e etc. 

Para uma definição mais específica, aqui estão os tipos de clientes no processo de compras:  

  • Suspect: aquela pessoa física ou jurídica que é considerada como futuro cliente, porém ainda não efetuou a compra. É considerado como o início de todo processo de compra; 
  • Prospect: O foco é o relacionamento. Ele é como o suspect, entretanto, tem poder de decisão de compra. Conhecendo mais a loja e o produto, a relação aumenta e a atitude de comprar é mais garantida. Ele precisa de um empurrãozinho; 
  • Prospect qualificado: Esse já tem interesse de adquirir os produtos e/ou serviços da loja. Ele solicita orçamento, entra em contato, pede os preços e compara com a concorrência;  
  • Cliente: THE END! Ele comprou. Passou por todo o processo, despertou curiosidade e agora ele está comprando. Esse “funil” é básico e a maioria dos clientes, principalmente os mais exigentes, passam por isso.

    2. Pós-venda
     

Isso é importante. Muito, na verdade! No outbound é comum que esse processo seja feito através do telefone, mas muitos clientes se sentem invadidos ou pressionados com isso hoje em dia. Por isso, no inbound marketing esse processo acontece através de e-mail marketing com mensagens personalizadas, que não vendem de forma descarada e desconfortável e sim agregam informações e atraem o cliente para a oferta dada, por livre e espontânea vontade. É preciso que você saiba qual é a forma que sua persona mais se sente confortável. Entenda melhor essa e outras diferenças entre inbound e outbound no contéudo.

         3. Ponto físico como parte final ou inicial da venda 

Mesmo que seu foco seja concluir a venda dentro da plataforma, ou levar de uma mídia social a outra, é preciso ter atenção às pessoas que gostam de pontos físicos. Não esqueça de produzir conteúdo para essas pessoas em destaque. Elas podem fazer a propaganda dentro das plataformas sociais, o que seria o famoso boca a boca da era moderna! Sem contar que lojas virtuais são muito úteis para clientes que moram longe da sua loja física, né?  

Entendeu a importância do Omni-Channel? Ele amplia horizontes, cria possibilidades que facilitam e agregam para seu negócio. Se você tem apenas um dos canais, experimente gerenciar também o outro e apostar nele, pois ambos funcionam ainda melhor juntos. 

Siga a Kryp nas redes sociais
, ,

Público x Persona – entenda a diferença e como isso pode ajudar sua empresa

Já imaginou que terrível seria lançar seu produto e/ou serviço, um site ou fanpage, para pessoas que não se identificam com aquilo? Seria um desperdício de tempo e dinheiro! Por isso é fundamental criar a persona da sua empresa, para conseguir direcionar o que deseja para quem se interessa efetivamente. Você deve estar se perguntando “Então persona é a mesma coisa que público-alvo?”. Não! Essa é a principal confusão entre os empresários, por isso é fundamental você entender a diferença. 

#1 O que é persona? 

 mean girls amanda seyfried mean girls movie karen smith clearing out GIF

Persona é a representação do seu cliente ideal, aquele que você quer atingir e falar diretamente. É personificação (ato de um indivíduo representar algo abstrato) de um personagem fictício, baseado em dados reais da sua pesquisa de público.  

Como fazer?  

Você destaca todas as características em comum da sua gama de clientes em potencial, e junta todas elas para formular o perfil de uma pessoa que representa todo o seu público-alvo. É importante ressaltar que pode haver mais de uma persona na sua empresa, por exemplo, uma mulher mais velha e outra mais jovem, já que a abordagem é diferente. 

Identifique as dores e desejos, idade, o que lê, o que faz e como sua empresa pode ajuda-la. 

Ex: Maria tem 27 anos, é solteira, publicitária recém-formada e tem como objetivo trabalhar em uma agência de comunicação no exterior, porque ama viajar, e, automaticamente, ser reconhecida no mercado nacional e internacional. Suas maiores dificuldades são a desabilidade de falar inglês e falta de dinheiro, por isso estuda bastante e planeja seus passos para economizar e conseguir viajar. 

#2 O que é Público-Alvo? 

Al Roker crowd zombies army drones GIF

Já o público-alvo (em inglês target audience) quer dizer uma parcela de pessoas, um segmento, que possuem características em comum e atingem os requisitos que sua empresa pretende para vender o produto ou serviço que deseja com mais precisão. É um grupo formado com base em pesquisas sobre sexo, idade, classe social e por aí vai. 

# Como fazer? 

Faça uma pesquisa, um formulário online que te ajude a identificar características em comum e identificar dores e desejos desse público, para conseguir definir a persona depois. Não se baseie em achismos, contra fatos e dados não há argumentos e a margem de erro é muito menor! 

Ex: O público é formado por homens e mulheres, entre 25 e 35 anos, de classe B+, com renda média mensal R$6mil. São, em sua maioria, solteiros, graduados ou pós graduados. Gostam de viajar, procuram não gastar muito com coisas supérfluas e investem bastante nos estudos para atingir o reconhecimento profissional. 

Percebe que, por mais confuso que pareça, são duas situações diferentes? É preciso do público-alvo para criar a persona, que é mais precisa e ajuda a direcionar mais a linguagem, a abordagem e o que será comunicado ou vendido à ela. Com isso, criando a persona corretamente, as chances de atingir de forma certeira o resto do público é muito maior. 


Com a segmentação e definição adequada, seu produto, serviço, site e/ou fanpage estará direcionado para quem se interessa. Esse é o primeiro passo para o sucesso! 😉  

Siga a Kryp nas redes sociais
, ,

Psicologia das cores – o que ela pode fazer pelo seu negócio nas redes sociais

Você sabe o que é e como funciona a psicologia das cores? É um estudo que mostra como as cores afetam as emoções do ser humano e influenciam nas escolhas de forma inconsciente. Os significados e sensações são diversos. Elas falam com as pessoas, por isso é muito importante se atentar na hora de escolher qual a melhor cor para o seu negócio. Qual a mensagem que você quer passar através dela?

Art GIF - Find & Share on GIPHY

De acordo com pesquisa realizada, as pessoas fazem um julgamento inconsciente de um produto ou serviço durante 90 segundos após o primeiro contato visual, e entre 62% e 90% dessa avaliação é baseada apenas nas cores! Loucura, né? Isso é psicologia das cores!!

Além disso, 85% dos consumidores afirmam que a cor é a principal razão de compra de um produto. Ela aumenta o reconhecimento da marca em 80% e influencia muito na confiança do cliente. A cor pode ser responsável, também, por 60% da aceitação ou rejeição de um produto ou serviço. Por isso, é importante se atentar à essas dicas para escolher qual a melhor cor para o seu negócio e entender de que maneira ela afeta diretamente o cérebro do seu consumidor através da psicologia das cores.


#1 VERMELHO 

 psicologia das cores o que é como funciona

Cérebro: afeta a estrutura ligada ao prazer;

Emoções: dinamismo, paixão, agressividade, energia, perigo e calor;

Segmentos ideais: tecnologia, alimentação, natureza e transporte;

#2 AZUL 

 psicologia das cores o que é como funciona

Cérebro: afeta o córtex pré-frontal relacionado à expressão da personalidade, tomadas de decisões e comportamento social;

Emoções: profissionalismo, seriedade, integridade, sinceridade, calma e infinito;

Segmentos ideais: saúde, tecnologia, energia, linhas aéreas, natureza e finanças;

#3 VERDE 

 psicologia das cores o que é como funciona

Cérebro: afeta o córtex pré-frontal ligado às decisões, pensamentos abstratos e criativos, capacidade para conexões emocionais e julgamento social;

Emoções: natureza, ética, tranquilidade, equilíbrio, crescimento, frescor, serenidade e orgânico;

Segmentos ideais: alimentação, natureza, imobiliária, energia, saúde e finanças;

#4 AMARELO 

Resultado de imagem para logo shweps

Cérebro: afeta o sistema de recompensa;

Emoções: calor, bondade, positividade, estimulante, alegria e luminosidade;

Segmentos ideais: energia, alimentação, natureza e imobiliária;

#5 LARANJA 

 psicologia das cores o que é como funciona

Cérebro: afeta o sistema de recompensa que responde pelo prazer e necessidade de repetição da experiência prazerosa;

Emoções: inovação, modernidade, juventude, diversão, acessibilidade e vitalidade;

Segmentos ideais: energia, alimentação, saúde e natureza;

#6 ROXO 

 psicologia das cores o que é como funciona

Cérebro: afeta o polo frontal ligado ao planejamento de ações e de movimento, e ao pensamento abstrato;

Emoções: luxo, realeza, sabedoria, dignidade, mistério e espiritualidade;

Segmentos ideais: alimentação, tecnologia, finanças, linhas aéreas, saúde, cosméticos, comunicação e vestuário;

#7 ROSA 

 psicologia das cores o que é como funciona

Cérebro: afeta a área tagmentar ventral que controla a sensação de recompensa pela saciedade de fome, sede e sexo;

Emoções: diversão, delicadeza, romantismo, feminilidade e inocência;

Segmentos ideais: alimentação, artigos femininos, vestuário;

#8 MARROM 

 psicologia das cores o que é como funciona

Cérebro: afeta o sistema límbico responsável pela estrutura interna que que responde pelas emoções;

Emoções: masculinidade, conservadorismo, rural, calor, conforto, requinte, natural, terra, simplicidade e rústico;

Segmentos ideais: alimentação, energia, imobiliária, natureza, artigos masculinos e vestuário;

#9 PRETO 

 psicologia das cores o que é como funciona

Cérebro: afeta a amigdala, que regula o comportamento sexual, medo, agressividade e memória emocional;

Emoções: poder, sofisticação, prestígio, valor, morte e atemporalidade;

Segmentos ideais: tecnologia, alimentação, transporte, natureza, vestuário e imobiliária;

#10 BRANCO

 psicologia das cores o que é como funciona

Cérebro: afeta o córtex cerebral esquerdo responsável pelo pensamento lógico e competência comunicativa;

Emoções: pureza, limpidez, sensibilidade, ingenuidade, nobreza e suavidade;

Segmentos ideais: linhas aéreas, tecnologia, saúde, natureza, vestuário e imobiliária.

Use as cores ideais para seu negócio e adéque-as nas redes sociais. Use sempre as mesmas para manter a identidade visual do seu negócio e permitir que o consumidor te identifique com um olhar. O ideal é usar três cores, uma principal e outras duas que combinem. 

Quer saber como combinar da forma correta? Acesse o http://colorschemedesigner.com/csd-3.5/, ele te dará as combinações que mais agradam aos olhos, de acordo com o círculo cromático.  

Lembre-se: use sempre o mesmo código de cor e, ao imprimir, transforme sempre o arquivo em CMYK para não alterar a tonalidade.  

Ufa! Quem diria que as cores poderiam fazer tudo isso, não é mesmo? E aí, sua cor condiz com a mensagem que você quer passar para seu consumidor? Faça a análise através da psicologia das cores e boa sorte! 

 

Siga a Kryp nas redes sociais
, , , ,

Por que eu não consigo colocar um link nos Stories do Instagram?

Muita gente tem se perguntado isso e ficado triste ☹ Tentou, tentou, tentou de novo e não conseguiu colocar um link no ‘ver mais’ do Stories do Instagram?

Calma! Vou te ensinar agorinha!

Primeiro, vamos entender e relembrar o que são os Stories, de fato.

Os Stories do Instagram são aquelas historinhas de 15 segundos que aparecem em forma de bolinhas na tela e expiram depois de 24 horas (Ou, o Snapchat do Instagram rs).
Stories-InstagramBom, agora que já estamos na mesma página, vamos lá entender o porque algumas pessoas/contas não conseguem colocar o link nos Stories do Instagram 😉

Primeiramente, o Intagram só liberou essa função para algumas contas grandes (empresas gigantes, artistas, famosos e contas verificadas).

Agora, depois de um tempinho, já liberou para várias contas – algumas até nem são verificadas.

Stories-Cleo-Pires-Instagram-Exemplo

O Instagram colocou algumas regrinhas que influenciam na hora de ‘’liberar’’ a função:

– Você tem que ter uma CONTA COMERCIAL (Se a sua conta ainda não é comercial, você pode ativar isso nas configurações,ok? A conta comercial é bem interessante para negócios e empresas já que nos permite ver estatísticas e dados sobre nossos acessos e público 😉) ;

– Você precisa ter uma FANPAGE no Facebook para que o Instagram reconheça a sua conta como oficial ;

– Você precisa ter 10 MIL SEGUIDORES (Se você já viu alguma conta com menos de 10 mil seguidores com a função, por favor, compartilha aqui comigo, Até porque, o Instagram muda a cada segundo)

Mais fácil do que parece, né? 😊

Agora, você sabe porque é tão legal para o seu negócio usar a função de link no Stories?

Se você tem uma empresa e/ou um negócio, é um influenciador digital ou produz conteúdo relevante, essa função pode te ajudar – e muito, a engajar ainda mais o seu público.

Com a possibilidade de colocar link no Stories, você pode disponibilizar conteúdos do seu site, direcionar o seus seguidores para atrativos e até para LANDING PAGES 😍

Ou seja, mais leads!!!

INFORMAÇÃO IMPORTANTE: O Instagram muda a todo momento. Por isso, existe a possibilidade de algumas coisas mudarem após você ler este conteúdo e é claro que eu vou tentar ir atualizando, sempre que eu captar alguma mudança, ok?

Agora é só correr atrás da sua permissão para colocar links no Stories do querido Instagram.

Boa sorte e até a próxima,

Silvana Carias 😊

Siga a Kryp nas redes sociais