Crise nas redes sociais: como gerenciar?

Como gerenciar uma crise nas redes sociais? Com a disseminação rápida de informação na internet, ficou ainda mais difícil administrar o que falam da sua empresa na rede, né? Por isso é importante seguir alguns passos para gerenciar a crise de forma rápida e eficiente:

  1. Monitore a rede: tenha um sistema e uma equipe preparada para monitorar a rede. Eles devem ficar atentos a tudo que falam sobre a empresa nas redes sociais, portais de notícia e etc. Em alguns casos, agências são contratadas para um trabalho de monitoramento mais eficiente;
  2. Haja rapidamente: na internet, tudo acontece muito rápido, por isso o posicionamento da empresa diante do fato deve ser igualmente ágil. É melhor uma boa resposta rápida do que uma excelente resposta lenta. A empresa precisa reconhecer o problema e dizer que está averiguando a situação e tomando as providências necessárias, ao invés de se calar até ter uma noção maior da situação;
  3. Peça desculpas se o erro foi da empresa: é importante a empresa agir de forma transparente e humana, reconhecendo o erro e agindo a respeito, caso realmente tenha culpa. As pessoas tendem a agir positivamente em relação a isso;
  4. Combata a crise na mesma mídia em que ela apareceu: se a crise surgiu no Facebook, responda lá. Não vá responder no Jornal Nacional, por exemplo, onde vai atingir um público que nem sabia no ocorrido e acabar dando proporções maiores do que deveria;
  5. Monte um time de respostas: prepare pessoas para que tenham autoridade e domínio no assunto para responder à crise. Isso vai agilizar o serviço e garantir respostas mais certeiras.
Siga a Kryp nas redes sociais
, , ,

Leads: Como gerar pelo Facebook

Você sabia que o Facebook pode ser uma máquina de geração de leads se você atrelá-lo a uma boa estratégia de produção de conteúdo?  

Você precisa produzir conteúdo de qualidade em algum espaço, o melhor é começar com um blog* (aqui eu te ensino a criar um, mas o Facebook pode ser um grande aliado. Atualmente, 117 milhões de brasileiros possuem conta na rede social, que soma 2 bilhões de usuários ao redor do mundo! Sem dúvida, no Facebook há uma grande concentração de clientes em potencial, por isso, com a estratégia correta, é possível transforma-los em leads!  
Mas antes, vamos entender melhor o que é um lead?

Os LEADS são os contatos qualificados de uma pessoa ou empresa. Ele demostrou em algum meio que está interessado no seu produto ou serviço. 

Lead gerado significa que um usuário que forneceu as informações para contato em troca de algo oferecido pela empresa, como um ebook, por exemplo. Depois que o cliente em potencial fornece essas informações pela primeira vez, ele é convertido em lead e entra no funil de vendas, se tornando uma oportunidade de negócio, já que demonstrou interesse por algo eu sua empresa ofereceu a ele.


Durante todo o funil, você vai nutrir esse lead com informações através da automação de e-mail marketing, para que ele se relacione cada vez mais com sua empresa e possa vir a comprar ao final da jornada de compra.    

Há várias formas de gerar leads, a mais comum é a landing page (saiba mais aqui!). LANDING PAGE é a página de entrada ou de captura por onde o visitante chega até um site. É através dela que conseguimos captar as informações que buscamos dos nossos potenciais clientes.

FACEBOOK LEAD O QUE É MARKETING

Como nas redes sociais é possível estreitar as ações para públicos mais específicos, as chances de atingir pessoas que têm afinidade com sua empresa e podem comprar são muito maiores! Quando você anuncia em redes sociais e faz ações corretas para esse público específico, a quantidade de leads de qualidade que podem ser gerados é absurdamente alta! 

Quer saber como? 

Leads a baixo custo 

Produza conteúdo de qualidade, de preferência gratuitos, como: 

  • Ebooks; 
  • Whitepapers; 
  • Webinars (Dica: Produza webinars tirando as principais dúvidas dos seus clientes já ativos); 
  •  Blog posts; 
  • Vídeos; 
  • Checklists; 
  • Listas; 

FACEBOOK LEAD O QUE É MARKETING

Lembre-se de otimizar corretamente a sua campanha! Por exemplo, se você não possui um blog responsivo**, não deixe o anúncio rodando em dispositivos móveis, desative essa opção. Segmente muito bem as suas campanhas, isso vai te ajudar a investir e atrair apenas tráfego que vai gerar possíveis conversões.  

Crie uma oferta bastante atraente, que faça com que o usuário sinta que vai sair perdendo se não aproveitar aquela oportunidade, como por exemplo: “por tempo limitado”, “só hoje”, “aprenda agora e deixe de perder tempo”, “GRATUITO” enfim, há várias maneiras de criar ofertas atraentes! Basta usar a imaginação e se colocar no lugar do cliente. O que é atraente pra você? O que é invasivo e comercial demais? Pense sempre na experiência do usuário, já que você também é um. 

**Blog responsivo é aquele que possui um layout que se adapta automaticamente para desktop e mobile. O Google leva em consideração o mobile no momento do ranqueamento, sem contar a maioria dos usuários acessam a internet pelo celular!  

Long Tail 

Long Tail ou ‘cauda longa’ é um termo usado para designar nichos de mercado. O nome faz referência a imagem do formato do gráfico gerado: os produtos mais populares chegam ao topo mas, não ocupam um espaço amplo no mercado enquanto os nichos são pequenos. 

FACEBOOK LEAD O QUE É MARKETING

Trabalhe muito bem na nutrição dos seus leads, crie processos automatizados para que eles sejam bem cuidados e instruídos. Você precisa criar um bom funil de vendas pensando nesses usuários que estão chegando agora. O anúncio menos segmentado, te trará muito tráfego e será seu topo do funil. Com uma boa automação, é possível fazer com que os novos leads cadastrados recebam automaticamente os conteúdos das próximas etapas do funil, estreitando e segmentando cada vez mais, através do e-mail marketing.
Para te ajudar a entender tudo sobre automação, temos um ebook sensacional aqui. Ele vai te ajudar muito!

Trabalhar com long tail é ótimo para gerar audiência, o custo normalmente é baixo (apenas compensa se for realmente baixo). Você terá um bom volume de pessoas lendo o seu conteúdo, se for de boa qualidade você terá uma audiência bem alta com um público bem engajado. 

Você precisa entender que, se você consegue gerar 1 cliente pagante a cada 10 pessoas que acessam o seu anúncio direto, no Facebook você pode gerar muito mais tráfego a um baixo custo.

FACEBOOK LEAD O QUE É MARKETING

Por exemplo, esse mesmo 1 lead pode vir a cada 100 acessos em seu conteúdo. Se você paga o mesmo preço por aquisição ainda compensa, pois você terá muito mais tráfego ao mesmo valor, no caso desta conta você gera 10x mais acessos pelo mesmo valor de aquisição. Assim você gera audiência, educa o mercado e as pessoas vão começar a enxergar muito mais a sua empresa. 

Pixel de conversão 

Ao criar um pixel de conversão e adicioná-lo às páginas do seu site (que possui conversões – como uma página de finalização de compra), você consegue ver quem CONVERTEU pelos anúncios do Facebook. E o pixel vai continuar monitorando as ações das pessoas.
Pense que você não está simplesmente fazendo campanhas para ganhar likes, a intenção é converter! Crie um pixel de conversão e indexe-o em sua página de agradecimento, como por exemplo: “obrigado por se cadastrar”. Assim você consegue medir exatamente as suas conversões. 

Testes A/B 

Faça testes A/B, mensure exatamente o que está convertendo. Muitas vezes uma pequena mudança na cor do Call to Action (chamados para ação) já faz com que você converta mais. Só é possível saber isso testando e percebendo o que funciona melhor para atrair seu público. 

As vantagens de utilizar essas estratégias são:  

  • Gerar muito mais tráfego para o seu site;  
  • Leads qualificados;  
  • Educação do mercado;  
  • Anúncios para um público parecido com o que já consome o seu conteúdo;  
  • Maior conversão de vendas. 

São muitas vantagens, está esperando o quê? 

Siga a Kryp nas redes sociais
, , , ,

Por que eu não consigo colocar um link nos Stories do Instagram?

Muita gente tem se perguntado isso e ficado triste ☹ Tentou, tentou, tentou de novo e não conseguiu colocar um link no ‘ver mais’ do Stories do Instagram?

Calma! Vou te ensinar agorinha!

Primeiro, vamos entender e relembrar o que são os Stories, de fato.

Os Stories do Instagram são aquelas historinhas de 15 segundos que aparecem em forma de bolinhas na tela e expiram depois de 24 horas (Ou, o Snapchat do Instagram rs).
Stories-InstagramBom, agora que já estamos na mesma página, vamos lá entender o porque algumas pessoas/contas não conseguem colocar o link nos Stories do Instagram 😉

Primeiramente, o Intagram só liberou essa função para algumas contas grandes (empresas gigantes, artistas, famosos e contas verificadas).

Agora, depois de um tempinho, já liberou para várias contas – algumas até nem são verificadas.

Stories-Cleo-Pires-Instagram-Exemplo

O Instagram colocou algumas regrinhas que influenciam na hora de ‘’liberar’’ a função:

– Você tem que ter uma CONTA COMERCIAL (Se a sua conta ainda não é comercial, você pode ativar isso nas configurações,ok? A conta comercial é bem interessante para negócios e empresas já que nos permite ver estatísticas e dados sobre nossos acessos e público 😉) ;

– Você precisa ter uma FANPAGE no Facebook para que o Instagram reconheça a sua conta como oficial ;

– Você precisa ter 10 MIL SEGUIDORES (Se você já viu alguma conta com menos de 10 mil seguidores com a função, por favor, compartilha aqui comigo, Até porque, o Instagram muda a cada segundo)

Mais fácil do que parece, né? 😊

Agora, você sabe porque é tão legal para o seu negócio usar a função de link no Stories?

Se você tem uma empresa e/ou um negócio, é um influenciador digital ou produz conteúdo relevante, essa função pode te ajudar – e muito, a engajar ainda mais o seu público.

Com a possibilidade de colocar link no Stories, você pode disponibilizar conteúdos do seu site, direcionar o seus seguidores para atrativos e até para LANDING PAGES 😍

Ou seja, mais leads!!!

INFORMAÇÃO IMPORTANTE: O Instagram muda a todo momento. Por isso, existe a possibilidade de algumas coisas mudarem após você ler este conteúdo e é claro que eu vou tentar ir atualizando, sempre que eu captar alguma mudança, ok?

Agora é só correr atrás da sua permissão para colocar links no Stories do querido Instagram.

Boa sorte e até a próxima,

Silvana Carias 😊

Siga a Kryp nas redes sociais
, ,

Fanpage – criei uma para minha empresa, e agora?

Calma, não precisa se desesperar! Muitas empresas, principalmente de pequeno e médio porte, começam as estratégias de marketing e comunicação através de uma fanpage no Facebook, com pouca ou nenhuma instrução. O objetivo principal é sempre aumentar a visibilidade, conquistando mais likes e atraindo mais clientes em potencial. Mas na prática não é bem assim. Se o seu objetivo é vender e atrair o cliente em potencial, qualidade é mais importante do que quantidade.  

A fanpage é uma excelente ferramenta e pode ser trabalhada conforme a criatividade do social media (o cara que mexe com as redes socais rs) ou das exigências do cliente, mas é preciso, antes de tudo isso, fazer um planejamento, para que ela seja otimizada e utilizada da melhor maneira possível. 

Antes de tudo, ao planejar você precisa pensar nos seguintes pontos: 

  • Qual tipo de público você quer impactar;   
  • Qual ou quais mídias você consegue demonstrar melhor seu trabalho;   
  • Qual conteúdo vai passar para os usuários (criamos uma ferramenta para te ajudar a organizar seus conteúdos, baixe aqui);
  • Qual o valor de orçamento disponível para seus anúncios.  

Com isso, você vai conseguir direcionar melhor o que escreve, como escreve, onde escreve, para quem, com qual periodicidade e de que forma vai anunciar. É importante lembrar que Facebook é investimento, por isso é preciso de orçamento disponível se você quer ter uma fanpage que agregue para sua empresa. 

Outro ponto importante é entender que há uma grande diferença entre perfil e fanpage. Nos termos de uso do Facebook, o perfil deve ter caráter pessoal e possui um limite máximo de 5mil amigos, por isso o ideal para seu negócio é a fanpage. Até porque ela permite que você faça muito mais coisas do que o perfil, como: 

  • Abas personalizadas: você edita o conteúdo da forma que quiser, com fotos, vídeos, fóruns, eventos e etc; 
  • Menção e check-in: ao contrário do perfil, que você só pode ser marcado por seus amigos, na fanpage as menções são públicas e permitem que os usuários façam check-in se estiverem em um local físico; 
  • Call to action (CTA): no topo da página é possível escolher o CTA que mais se encaixa para seu negócio, como “ligue agora” ou “reserve agora” ou “fale conosco” e etc; 
  • Análise: a fanpage possui relatórios de acesso, likes, gráficos, o que permite que você analise o engajamento da página e analise o que precisa ser melhorado e mantido; 
  • Múltiplos gestores: mais de uma pessoa pode administrar a página ao mesmo tempo, com níveis de hierarquia, como editor, administrador, entre outros; 
  • Anúncios: é possível criar diversos tipos de anúncios de acordo com a necessidade do seu negócio. 

 Se sua empresa possui um perfil, calma! Não precisa excluir, é possível converte-lo em fanpage.

É importante, também, que você mantenha sua fanpage sempre atualizada, pensando nas dores e desejos da sua persona. Lembre-se que as pessoas entram no Facebook para se divertirem, por isso não crie uma página totalmente institucional e comercial. Crie conteúdos informativos, divertidos, que façam seu público se interessar. Caso contrário, irão descurtir a página. Pense em você como usuário do Facebook, o que você odiaria ver em uma fanpage?   


Procure ver páginas com serviços semelhantes, a forma como eles abordam e crie uma nova linguagem, trazendo novidades de conteúdo. Análise da concorrência é fundamental para entender o que funciona ou não. Mas lembre-se, nada de cópias, hen!  

Além da página, tenha um blog também. A fanpage pode ser uma alavanca para levar fluxo para seu blog, por isso, use o Facebook para despertar a curiosidade e entregue o conteúdo completo no blog. Um complementa o outro.  

Dito isso, há uma etapa fundamental: a mensuração. A própria fanpage te oferece isso, mas você pode usar sistemas de KPI (Key Performance Indicator ou  indicador-chave de desempenho), para checar qual plataforma teve melhor desempenho para investir mais e qual teve pior para repensar seu planejamento. 

Pronto, agora que você já sabe como funciona uma fanpage e o que fazer para torna-la um sucesso, é hora de fazer acontecer! Mão na massa! 😉

Siga a Kryp nas redes sociais
, ,

Lista de Transmissão Whatsapp – como criar a sua (Android e iOS)

Você já ouviu falar em Lista de Transmissão do WhatsApp? Ela é uma forma de enviar a mesma mensagem para diversas pessoas ao mesmo tempo, sem que elas saibam que é uma mensagem coletiva.

Calma, vou explicar melhor como funciona:

1. Onde criar

Se você tem Android, é só abrir o ícone do WhatsApp e clicar na guia oculta no canto superior direito da tela, que te dará várias alternativas, dentre elas a “nova transmissão”.

Caso seja iOS, é só clicar em “Lista de Transmissão” no canto superior esquerdo do WhatsApp, como mostra a imagem.

lista de transmissão whatsapp como criar como funciona

2. Nova lista

Após o passo anterior, vai abrir uma tela com listas anteriores. Você pode nomear a lista do jeito que quiser e editar o nome a hora que quiser, basta clicar no ícone “i” ao lado direito da lista e editar.

lista de transmissão whatsapp como criar como funciona

Lá embaixo você vai clicar em “nova lista”. Caso essa seja a primeira, abrirá direto na lista de contatos para seleciona-los.

No Android, como você já clicou direto em “nova transmissão”, abrirá direto na lista de contatos.

lista de transmissão whatsapp como criar como funciona

3. Contatos

Selecione os contatos que deseja incluir na lista. Para facilitar sua vida, salve seus contatos com um nome em comum, por exemplo: Maria Cliente, João Cliente, Laura Cliente … assim fica mais fácil na hora de selecionar. Em seguida clique em criar ou no botão “V” verde que fica do lado direito inferior da tela, se for Android.

lista de transmissão whatsapp como criar como funciona

 

lista de transmissão whatsapp como criar como funciona

4. Mensagem

Após isso, irá abrir uma tela, como se fosse um grupo normal de WhatsApp. Você vai escrever a mensagem e enviar, mas as mensagens serão enviadas como a função cópia oculta do e-mail, ou seja, os membros da lista não sabem que você enviou para mais de uma pessoa. Eles acreditam ser uma mensagem única e personalizada.

lista de transmissão whatsapp como criar como funciona

É possível remover e adicionar destinatários, editar a lista e o nome.

5. ATENÇÃO!

É fundamental que você segmente bem a sua lista. Se o fim é comercial, não adianta enviar uma mensagem para todos seus contatos. Mande para quem realmente vai se interessar e seja um cliente em potencial, por exemplo.

Faça uma mensagem personalizada. Ele NÃO sabe que você está enviando para mais pessoas, então NÃO comece a mensagem com “Olá pessoal, tudo bem?”, nem com nomes, porque a mensagem vai igual para todos. Fale diretamente com ele, no singular, como se fosse uma mensagem individual, por exemplo: “Olá! Você sabia que …”

P.S.: evite fazer listas de transmissão o tempo todo, porque pode causar o efeito contrário e suas mensagens podem passar a ser rejeitadas. Por isso é bom ter um prazo mínimo de 15 dias entre cada lista, para que não se torne algo invasivo!

Com esse passo a passo, ficou muito mais fácil de entender como funciona e como criar uma lista de transmissão do WhatsApp, não é? Agora você poderá promover o que precisa, de forma rápida, prática e pessoal. Pronto para começar? 😉

Siga a Kryp nas redes sociais
, ,

Facebook finalmente bate a marca de 2 bilhões de usuários

Esta semana o Facebook atingiu a marca dos DOIS BILHÕES de usuários, isso equivale a 26,3% da população mundial!!!

 

Só no Brasil, 117 milhões de pessoas têm conta na rede social! Mark Zuckerberg, criador do Facebook, afirmou que a missão é aproximar o mundo e isso o aproxima cada vez mais do objetivo.  “Nossa meta é chegar aos 5 bilhões de usuários ativos”, afirmou o CEO.

O Facebook começou em 2003, quando os estudantes de Harvard, Mark Zuckerberg, Dustin Moskovitz, Chris Hughes e o brasileiro Eduardo Saverin, se juntaram para criar uma rede social para comparar as garotas da universidade pela aparência. Na época, era chamado de Facemash, e já começou como um sucesso, atraindo 450 visitas em quatro horas.

Após comprar o Instagram em 2012, a rede comprou o WhatsApp em 2014, reunindo 450 milhões de usuários ativos e se aliando a um dos maiores concorrentes.

 

E você aí, ainda acha que sua empresa não precisa de Facebook?

Siga a Kryp nas redes sociais
, , , ,

Por que sua empresa deve investir em influenciadores digitais

Antes de tudo, para começar, você sabe o que é um influenciador digital? Ele usa a “fama” na internet para formar opinião e influenciar os seguidores, através de conteúdos em blogs, canais no YouTube e fotos em aplicativos como Instagram, por exemplo.

Os influenciadores digitais são os formadores de opinião da nova era e fizeram disso uma profissão, que, aliás, rende muito dinheiro – não só para eles, mas para as marcas que enxergam neles um bom investimento de marketing.  Existem vários tipos de influenciadores, como os experts em mídia social, os populares no YouTube, os blogueiros e os famosos na internet, e todos eles são a ponte de ligação direta, mais eficaz e, muitas vezes, mais em conta do que 30 segundos de propaganda no horário nobre da Globo, entre sua empresa e sua persona.

A internet é a segunda maior mídia acessada, perdendo apenas para a televisão. A previsão é que esse quadro se inverta em 2019.

 

Por quê isso acontece? A internet cria um vínculo e proximidade muito maior com o internauta, do que qualquer outro tipo de mídia. Isso faz com que o consumidor se identifique com quem escreve, surgindo um laço de confiança e confiabilidade, fazendo com que a opinião do influenciador digital tenha muito mais credibilidade. Isso acontece, também, porque o consumidor tem a ideia de que a propaganda da televisão, por exemplo, é paga para vender e “enganar” o consumidor, enquanto o influenciador transmite a ideia de que fala do produto porque gostou dele, sem ser “pago” para isso. Doce engano, aliás.

A vantagem dos influenciadores, também, é que eles usam os produtos e fazem resenhas contando a experiência como consumidor, passando mais veracidade e quebrando essa barreira de desconfiança da propaganda. A internet permite que o internauta tire dúvidas em relação ao que quer comprar, tornando a decisão mais efetiva do que em outras mídias.

Como saber qual é a melhor decisão na hora de investir em um influenciador?

#1 Números não definem um influenciador 

Anthony Antonellis GIF - Find & Share on GIPHY

Muitas pessoas “famosas” nas redes sociais possuem muitos seguidores que não são ativos na página, ou seja, são apenas números insignificantes. É muito mais interessante para o seu negócio um influenciador que tenha poucos seguidores, mas que sejam ativos e participem efetivamente, do que muitos que não se envolvam, porque a ideia é justamente o vínculo e envolvimento do internauta com o influenciador. Por isso, não se prenda aos números, nem sempre eles dizem tudo.

#2 O influenciador envolve e influencia o público 

VICE Media Spain GIF - Find & Share on GIPHY

Influenciadores influenciam, como o próprio nome diz, porque dão opinião com base no que usam, no que gostam e, muitas vezes, com base no que sua empresa deseja. Muitas vezes isso acontece de maneira sutil, as marcas geralmente presenteiam esses influenciadores, patrocinam, para que eles usem os produtos e os seguidores fiquem com vontade de usar também.

#3 O influenciador produz conteúdo relevante constantemente 

Lol GIF - Find & Share on GIPHY

O conteúdo relevante aumenta a credibilidade na hora de formar opinião e de usar um determinado produto, escrever uma resenha. Para o consumidor acreditar no influenciador, ele precisar mostrar que tem embasamento e sabe do que está falando.

#4 Ele conversa com o público e zela por essa relação próxima 

RealityTVGIFs GIF - Find & Share on GIPHY

A relação próxima com o público e a interação são os fatores que trazem confiança e influenciam na decisão de compra do consumidor. Além de passar confiança, permite que eles tirem dúvidas.

#5 O que deve ser avaliado é o engajamento 

Marketing GIF - Find & Share on GIPHY

Isso significa que o que importe mesmo são os compartilhamentos, comentários e marcações que os influenciadores têm.

E você, já pensou em investir em influenciadores digitais? Que tal começar agora?

Siga a Kryp nas redes sociais
, , ,

3 coisas que as empresas fazem no Facebook que NÃO dão nada certo e como fazer diferente

Estamos na era do conteúdo. O jeito de vender mudou, o jeito de anunciar mudou e o sucesso só é atingido a partir do momento em que entendemos que precisamos acompanhar essa mudança e esse novo momento, que, enquanto você lia esta linha, já mudou de novo. E de novo. Pensando nisso, listamos alguns dos erros mais comuns que vêm sendo cometidos pelas empresas por aí.
Vamos aprender com eles, ok? Atenção para o que NÃO fazer! 🙂

 

1: AGIR NA ERA DA INTERNET PENSANDO COM A CABEÇA ANALÓGICA

facebook twitter social media
A cabeça analógica pensa coisas como ”OLHE PARA CÁ!”, “COMPRE AGORA”. Isto é, enfiar goela abaixo o produto ou serviços da empresa para o público. O consumidor amadureceu e isso definitivamente, não funciona mais. É preciso parar de tentar usar aquilo que dava certo na propaganda tradicional, para o digital.
Antes, o consumidor era um alvo pacífico, hoje ele é o produtor da informação e/ou consegue consumir o que quiser. Tudo a um clique. Ele não fica mais sentado em frente à TV à espera de determinado filme, ele entra na Netflix e assiste o que quiser, onde quiser e quando quiser. E se a Netflix der algum pau ou ele não gostar do filme, certamente, vai fazer um post falando sobre isso para o mundo inteiro. Em questão de segundos, pelo menos cinco pessoas vão ver. Entende que o poder está em suas mãos? O consumidor não é um alvo da mídia. ELE É A MÍDIA! Nas redes sociais, ele tem o poder de falar muito bem da sua empresa ou de detoná-la.
Cada ”local” possui suas particularidades e adaptações. Já imaginou que estranho ou quanto menos ”efetivo” seria, fazer feijão na frigideira de fritar ovos?
Estamos na era do conteúdo e precisamos produzir para ela.

2: FALAR PARA QUALQUER UM

hashtag fomo
É preciso definir um ”avatar”, criar uma persona. Isto é, precisamos imaginar quem é o seu público exatamente e produzir para ele. Falar para todo mundo no Facebook pode dar o mesmo trabalho do que falar para um publico específico e o resultado é infinitamente pior. Para acertar, você precisa conhecer os sonhos, as dores e o que o seu público mais gosta de fazer.

Vamos imaginar que você tem um restaurante de massas (Don Giovani) de preço alto. Que tipo de publicações os seus clientes fieis costumam ler? Quais são os lugares que ele frequenta aos domingos? Qual é a sua idade e classe social? Com essas e outras respostas, criamos o José Augusto, de 57 anos, descendência italiana, engenheiro prestes a se aposentar, casado e com duas filhas. José é apaixonado por massas, vinhos e queijo. Sempre que possível, leva a família jantar e aprecia esse momento. A maior dificuldade de José é convencer a filha mais nova, de 10 anos, a ir junto. Ela acha um saco esse tipo de programa.
Bom, imagine como José Augusto ficaria feliz em saber que o Don Giovani criou uma área de entretenimento para crianças e adolescentes? Através do Facebook, podemos criar um post falando sobre isso que certamente, fará com que o José Augusto mostre para sua filha e vá até o seu restaurante. Na verdade, podemos pensar em diversos posts e campanhas usando essas informações. Para o jovem Felipe, de 23 anos, solteiro, sem filhos e que odeia massas, isso não é relevante. Não precisamos produzir para ele neste momento. Percebe como ficou mais fácil e assertivo? É assim que conseguimos criar conteúdo relevante para o seu público com muito mais facilidade.

3: VENDER, VENDER, VENDER E SÓ VENDER

money free money
Precisamos entender que o conteúdo é a moeda do século XXI. Fazer posts só de vendas e obrigar as pessoas a virem algo que elas não estão a fim, não vai te dar nenhum resultado. Não dá mais para fazer campanhas de ”Compre aqui porque aqui é legal”. Precisamos mostrar como funciona, educar, dar dicas e levar informação relevante ao seu público-alvo. Sabe aquilo que você gosta de ver em seu Facebook? Pois então, esse é o tipo de conteúdo que muitas empresas (das quais você é o público) podem produzir para te chamar atenção. E assim como você, todo mundo. Cada um gostando e compartilhando uma coisa. E o nosso trabalho é descobrir o que cabe melhor para qual consumidor.
A venda é consequência. Depois de um processo de confiança, credibilidade e autoridade, tudo fica mais fácil. O conteúdo é o instrumento de relacionamento com os clientes. Percebe? Se ponha no lugar de quem consome e reflita. Chega de esfregar na cara, é hora de ensinar!

Se a sua empresa pratica alguma das coisas a cima, é hora de parar. E para me despedir, vou citar David Meerman Scott: “Você vende muito mais quando para de empurrar a venda. Esteja preparado para lidar com clientes que sabem comprar.”

Até a próxima!

Silvana Carias 😉 

Siga a Kryp nas redes sociais
, , , ,

Social Media da educação infantil até o ensino superior

É um trabalho árduo, cheio de deadlines, tipos de linguagem e conteúdo, mas, no final, o resultado é ultra satisfatório. Para profissionais de comunicação que atuam na área de educação, seja em secretarias da prefeitura, na superintendência regional ou estadual de ensino, faculdades, universidades ou no ministério da Educação. O Social Media precisa ser delicado, preciso, explicativo e entreter não apenas professores e pais, mais os alunos, independente da sua idade.

 

É preciso haver uma sinergia entre a equipe de comunicação e o órgão que administra a área educacional, lhe passando calendários de eventos, mudanças no ensino, reuniões, inaugurações e ações sociais e pedagógicas que visam atender a população, a unidade de ensino e os estudantes. No caso de ensino público (educação infantil, anos iniciais, finais, Ensino Jovens e Adultos, etc), precisa haver um “porta voz” de cada setor para informar todos os compromissos daquela equipe, como o por exemplo o time que cuida do transporte escolar, matrículas, saúde escolar, de apoio aos professores, formação continuada, etc.

5bf34877dc80ffebfd1bcee1a417a721

Já no ensino superior, a projeção de trabalho costuma ser híbrida entre a equipe de comunicação da instituição com uma equipe organizada pelos próprios alunos. Acaba sendo um benefício para ambas as partes: os universitários de comunicação acabam ganhando experiência na área e a instituição mantém seu fluxo de informações, divulgação e eventos com menos custos.

Para todos os públicos

Estudantes, pais, funcionários, instituição e a comunidade local. O profissional de comunicação precisa ter de adequar seu conteúdo para atender as demandas dessas camadas sociais. E não pense que basta um site e uma Fan Page para saciar as necessidades. É muito mais.

Estando num ambiente de atendimento público, ou seja, para escolas municipais ou estaduais, em todos os níveis educacionais, além do site com seus releases e o trabalho de assessoria, requer uma área onde a produção das unidades de ensino e os alunos seja evidenciada, seja pela administração de um blog ou canal no YouTube, separadas pela identidade da unidade e seus estudantes. Valoriza o trabalho do docente, engrandece o empenho dos alunos, que irão retribuir isso em sala de aula e a gestão da Secretaria de Educação e sua equipe são bem vistas pela ação “Canal Escola”.Os pais não podem ser esquecidos e merecem uma área onde documentos, lembretes (cadastramento escolar, matrícula, transporte, saúde, reuniões, etc) e avisos importantes estejam nessa plataforma e que sirva como a sua “agenda virtual” para acompanhar a vida escolar dos filhos.

Dessa produção e manutenção das plataformas, podem sair projetos grandiosos, como lançamento de livros produzidos pelos alunos e financiados por leis de incentivo à cultura, exposições, festas, apresentações de ações culturais como dança, música, teatro, documentários, etc. As oportunidades são infinitas.

tumblr_ldbmqb8syq1qfwmwyo1_500_large_large

No âmbito universitário, a situação se assemelha na questão do incentivo e da participação dos alunos, mas o objetivo aqui é somado à produção de portfólio dos estudantes, no aprendizado do ofício da comunicação e de terem base para trabalharem com isso no futuro, seja por meio de estágios, freela ou emprego. É claro que os canais precisam estar abertos e alimentados pelo conteúdo da faculdade e da produção universitária, mas precisa haver o estímulo dessa produção, sobretudo instalações adequadas, profissionais coordenadores experientes e material de apoio textual e audiovisual.

Sendo tudo alinhado, a equipe de comunicação não apenas informa cada camada envolvida, mas transforma e evolui o pensamento pedagógico, estimula a produção por parte dos aprendizes e garante o retorno para a educação. Todos saem ganhando.

 

Siga a Kryp nas redes sociais
, , ,

Como anunciar no Facebook

O Facebook é hoje uma das maiores plataformas do meio digital que permitem que as empresas trabalhem para atingir grandes resultados através de técnicas de Facebook Marketing.

Para anunciar no Facebook você precisa primeiro ter uma página de empresas, por isso, nós já criamos um tutorialzinho para você saber Como criar uma página de fãs no Facebook.

Como explicamos no artigo Entenda de uma vez por todas como funciona o News Feed do Facebook, o Facebook procura mostrar a você àquilo que você quer ver, no momento em que você quer ver. Para que isso aconteça é necessário criar conteúdo de qualidade e conhecer muito bem o seu público.

 

Após da implementação do EdgeRank (algorítimo do Facebook), a plataforma fez alguns cortes necessários no alcance das publicações. Se você possui uma página, deve ter notado que sua página não alcança 100% dos usuários, né? Por exemplo, se você possui 20 mil fãs que curtiram a sua página no Facebook, provavelmente uma parcela muito pequena desses fãs vão receber o seu conteúdo, e obviamente, para que você consiga atingir mais pessoas, é necessário fazer os anúncios pagos.

 

Você pode começar se arriscando com o simples impulsionamento da publicação, o que não é o ideal, porém é válido para começar a se aventurar no Facebook ADS.

 

O ideal mesmo é você saber planejar muito bem as suas campanhas e utilizar o Power Editor para gerenciá-las, mas, é possível começar a ter bons resultados utilizando o Gerenciador de Anúncios do Facebook.

 

Como utilizar o Gerenciador de Anúncios

 

Ao utilizar o gerenciador de anúncios você primeiro vai precisar definir qual é o objetivo da sua campanha. O Facebook disponibiliza atualmente 11 tipos de anúncios na plataforma, que são:

objetivo-do-anuncio-fb-ads

  • Cliques no site: Direcione as pessoas para o seu site.
  • Conversões no site: Aumente as conversões no seu site. Você deverá ter um pixel de conversão para seu site antes de poder criar esse anúncio.
  • Envolvimento com a publicação da Página: Impulsione suas publicações.
  • Curtidas na Página: Promova e obtenha curtidas na Página para se conectar com mais pessoas que são importantes para você.
  • Instalações do aplicativo: Obtenha instalações de seus aplicativos.
  • Envolvimento com o aplicativo: Aumente o envolvimento em seu aplicativo.
  • Obtenções da oferta: Crie ofertas para pessoas resgatarem em sua loja.
  • Divulgação nas Imediações: Alcance pessoas próximas ao seu negócio.
  • Participações no evento: Aumente a participação em seu evento.
  • Visualizações do vídeo: Crie anúncios para fazer com que mais pessoas visualizem um vídeo.
  • Adquira cadastros para seu negócio: Use este objetivo para criar um formulário que coletará informações das pessoas, incluindo inscrições para receber boletins, estimativas de preço e ligações de acompanhamento.

Estrutura da campanha

Seu anúncio no Facebook precisa ter três partes para ser veiculado: a campanha, o conjunto de anúncios e um anúncio. A estrutura da campanha, formada pelos três itens (campanha, conjunto e anúncio) trabalham em conjunto para garantir que seu anúncio trabalhe da maneira desejada.

 

Campanha

Imagine que a campanha é a base do seu anúncio. Você escolherá qual o objetivo do anúncio (cliques no site, visualizações do vídeo, obtenções da oferta, etc.). Este objetivo define o que você quer que o anúncio atinja (que são os 11 objetivos citados logo a cima).

Escolha seu objetivo e depois você vai começar a criar o seu conjunto de anúncios.

Conjunto de anúncios

O que é o conjunto de anúncios? Aqui é onde o negócio começa a ficar divertido 😀

O conjunto de anúncios define como seu anúncio será veiculado. É nesta etapa que você define qual o público que você quer atingir, quanto quer gastar, por quanto tempo, localização e muito mais.

Uma campanha pode (deve) conter vários conjuntos de anúncios. Você pode criar um conjunto de anúncios, por exemplo, para homens, de 21-45 anos, focando em Curitiba e outro conjunto para mulheres de 21-45 anos, focando em Curitiba. Depois, ao mensurar os resultados, você consegue saber qual conjunto de anúncios está te dando mais resultado.

Checklist:

  • Crie o público do seu conjunto
  • Defina o orçamento
  • Defina a programação
  • Defina o lance do clique (opcional, não recomendado)
  • Comece a criar o anúncio

 

Anúncio

O anúncio é o que será veiculado ao público, o que será visto pelos usuários. Você escolherá as imagens do anúncio, vídeos, textos e o botão de chamada para ação (CTA ou call to action).

 

Entenda que você pode criar vários anúncios em um único conjunto de anúncios.

 

Checklist:

 

  • Carregue a imagem ou várias imagens ou até mesmo um vídeo para seu anúncio
  • Insira as informações do seu anúncio, como texto, título, link e botão de ação.

O que achou das dicas? Comente suas dúvidas abaixo e não esqueça de participar do nosso grupo no Facebook

Veja aqui 9 dicas INDISPENSÁVEIS para anunciar no Facebook

 

Siga a Kryp nas redes sociais