, , ,

Neuromarketing: a neurociência do consumidor

Neuromarketing é o conceito ideal para quem está tentando entender melhor o comportamento de compra do consumidor e o que faz ele tomar as decisões que toma.

É justamente sobre isso que vamos falar neste texto, te possibilitando a entender o que é neuromarketing, como funciona essa neurociência do consumidor e o que ela pode fazer por sua empresa!

O que é neuromarketing?

Neuromarketing é um estudo que une neorociência e marketing para analisar o comportamento humano através da maneira como as informações são processadas no cérebro.

Big Bang Theory Brain GIF

Mas é importante ter em mente que neuromarketing não é uma estratégia de marketing!!!

A neurociência estuda quais estímulos afetam determinada parte do cérebro do consumidor e qual comportamento é resultado. O marketing usa esse estímulo para provocar esse comportamento esperado.

Para entender melhor o conceito, vamos começar do básico, o cérebro humano, que é dividido em 3 partes:

  • Cérebro Reptiliano: responsável pela nossa sobrevivência e é ativado por emoções primitivas;
  • Cérebro Límbico: processa nossas emoções complexas, armazena dados e ativa os 5 sentidos;
  • Neocórtex: controla o raciocínio e o lado social.

neuromarketing cerebro

Dessa maneira, ao fazer uma propaganda, sua empresa ativa os sistemas reptiliano e límbico através das emoções e sentidos. Depois disso, o neurocórtex racionaliza essas informações. Aí que entra a tomada de decisão.

A função do neuromarketing, então, é transformar essa decisão menos racional, mais emocional e automática, ativando mais os sistemas reptiliano e límbico através de estratégias de marketing.

Neuromarketing na prática

Ok, agora que você compreendeu como funciona a neurociência do consumidor, como usá-la na prática para criar os estímulos necessários na tomada de decisão do seu consumidor?

Psicologia das cores

As cores interferem nas emoções humanas e influenciam nas decisões inconscientes. É isso que estuda a psicologia das cores, afinal, elas transmitem uma mensagem fundamental sobre seu negócio, por isso é preciso fazer a escolha certa.

Gatilhos mentais

Gatilhos mentais são instruções do cérebro para que nem toda ação precisa ser refletida ou racionalizada.

Dessa forma, esses gatilhos ultrapassam o neurocórtex e chegam direto no sistema límbico, engajando a tomada de decisão de maneira inconsciente.

Os gatilhos mais usados são:

  • Escassez: “Edição limitada!”

neuromarketing gatilhos mentais

  • Urgência: “Último dia!”

neuromarketing gatilhos mentais

  • Reciprocidade: “Amostra grátis!”

neuromarketing gatilhos mentais

  • Exclusividade: “Produto exclusivo para pré-venda”

neuromarketing gatilhos mentais

  • Prova social: “Usado e comprovado pelo fulano de tal” ou influencer divulgando nas redes sociais 

neuromarketing gatilhos mentais

Marketing sensorial

O marketing sensorial é uma estratégia de marketing que ativa os 5 sentidos do consumidor, influenciando inconscientemente na decisão de compra e na memorização da marca, principalmente através da memória olfativa.

Olfato

Quem nunca comprou pipoca ou milho na praça só porque sentiu o cheiro? 😅 Muitas marcas usam difusor de essência para ativar o olfato dos consumidores, como Melissa, Nutty Bavarian, Zelo e Vila Romana.

Audição

A audição também influencia diretamente no comportamento de compra, sabia?

Música mais lentas prendem os consumidores na loja, por exemplo, por mais tempo. Se o objetivo for aumentar a rotatividade de pessoas, músicas mais agitadas aceleram o processo de compra.

Legal, né?  

Visão

A visão é estimulada através da logo, das cores, ou seja, da identidade visual que conecta o consumidor à marca, transformando-o em cliente. Quem nunca foi na Starbucks e tirou foto do copo com a logo?

Tato

Permitir que os clientes toquem, provem, tenham a sensação e a experiência interativa de compra, estimulam o tato e a decisão final. Por isso os provadores e amostras são tão importantes.

Paladar

Ninguém confunde o sabor da Coca-Cola com o da Pepsi, por exemplo. Nem do Mc Donald’s com do Burger King. São sabores diferentes que fazem parte da identificação da marca.

Outra estratégia bacana para estimular o paladar, é a degustação, muito usada pela Mr Pretzels, por exemplo.

Humanização

Use rostos de pessoas para criar humanização da marca e reconhecimento do consumidor.

Somos seres sociáveis, ver rostos de pessoas gera empatia e aproximação, principalmente nas redes sociais – elas têm esse nome por um motivo, certo?

Instagram é uma das redes que mais pede humanização, porque vem da ideia de foto instantânea, registro do momento, e isso pede pessoas – o mesmo vale para os stories.

Persuasão

Esse é o embasamento de toda estratégia de marketing: persuadir para despertar necessidades. Isso porque o sistema reptiliano é egoísta e precisa atender às próprias necessidades.

Pensando nisso, o storytelling é uma boa alternativa persuasiva, já que todos nós adoramos ouvir e contar histórias, desde pequenos. Nós somos seres feitos de história.

Isso gera empatia, nostalgia, identificação e mexe diretamente com as emoções do consumidor, exatamente onde pretendemos!

Todo vendedor é consumidor

neuromarketing

Quer saber o que realmente pode funcionar? Faça o teste, como consumidor. O que funciona com você e influencia na sua decisão de compra?

Claro que sua persona pode ser diferente de você, mas começando a compreender como funciona o seu cérebro, fica muito mais fácil entender do seu consumidor depois!

Ainda não tem uma persona? Crie a sua, esse é o primeiro passo, afinal, não há como estudar um consumidor se você ainda não sabe quem ele é, né?

Siga a Kryp nas redes sociais