, , ,

Como burlar o bloqueio do WhatsApp fora do ar

Há boatos de que estamos na pior, mas poxa, se isso é estar na pior…… piadinhas resgatadas à parte, há muita gente que utiliza o WhatsApp no Brasil, ele inclusive é o app mais utilizado no Brasil, com cerca de 93% em relação aos outros serviços, como Facebook, YouTube, Instagram, Twitter, entre outros.

whats-app-lidera-audiencia-de-aplicativos

O grande problema é que as pessoas não utilizam o app apenas para mandar nudes, mas as marcas também o utilizam para o famoso SAC 2.0 e interagirem com seus consumidores.

Preparei aqui uma lista bacana com alguns serviços que você pode utilizar caso o WhatsApp realmente fique fora do ar.

Não vou comentar todos, até porque alguns eu não utilizei ou não utilizo, não vou indicar para vocês algo que eu não conheça bem.

A lista está em ordem de prioridades (que eu considero prioritário).

Hangouts

Se tem uma coisa que o Google conseguiu fazer com o G+, foi ser um multi contas muito funcional, você pode ter apenas sua conta no Gmail e a mesma serve para o YouTube, G+, Drive, e todos os outros serviços do Google, incluindo o Google Hangouts, somente por isso eu o listei antes do Skype, pela facilidade do uso (User Experience, né brother, prioridades…rsrsrs). Com o Hangouts eu consigo conversar em tempo real com meus clientes facilmente e eles só precisam ter um Gmail (que é o mínimo que nós esperamos das pessoas hoje, que elas tenham ao menos um Gmail, 2015/16 né gente?).

Skype

O Skype para mim serve tanto quanto o Google Hangouts, porém, eu o prefiro para fazer as ligações, o serviço possui um sistema muito bacana de auto-ajuste de conexão, onde eu consigo atender desde clientes que moram em regiões interioranas que não possuem uma conexão muito boa e clientes que possuem conexões mais estáveis (se bem que ultimamente mesmo tendo uma super internet fibra aqui no escritório aquela empresa que usa um bonequinho roxo não está nos ajudando muito não).

Facebook Messenger

O Facebook Messenger é mais para falar com amigos mesmo e evitar distrações do feed de notícias, já que não é possível utilizá-lo para gerenciar as páginas para servir como SAC, mas é um bom serviço, creio que em breve o Mark libere para as páginas também.

Os serviços abaixo eu não utilizo ou os utilizei pouquíssimas vezes.

Telegram

Viber

Line

Hangouts

WeChat

ICQ

KakaoTalk

ChatON

GroupMe

Você pode também tentar burlar o sistema através de uma VPN (Virtual Private Network) trata-se de uma rede privada construída sobre a infraestrutura de uma rede pública. Essa é uma forma de conectar dois computadores através de uma rede pública, como a Internet.

Você pode baixar para Android o:

VPN Master

Para iPhone:

SurfEasy VPN

Para Windows Phone:

Vpn One Click

Não vou explicar o que é uma VPN, se você quiser saber mais, o Canaltech já fez um post muito bom sobre o assunto.

O que posso dizer é, tome muito cuidado ao utilizar uma VPN, não saia utilizando qualquer um por aí.

Os serviços de VPN, por serem privados, assim como o Facebook, Google, etc, podem compartilhar seus dados, lembre-se, você estará utilizando o seu smartphone para utilizar a VPN, ou seja, os seus dados mais delicados provavelmente estão por lá, como contatos telefônicos, e-mails, mensagens DADOS BANCÁRIOS (não faça transações bancárias quando utilizar um VPN).

Outra desvantagem, a maioria dos serviços de VPN utilizam servidores de fora, e mesmo que você utilize um servidor brasileiro, a conexão é muito mais lenta do que a normal.

Leia ao menos a seguinte parte do artigo do canaltech:

02. O que faz uma VPN ser boa?

Os melhores serviços de VPN têm um bom equilíbrio de recursos, localização de servidores, protocolos de conexão e preço. Alguns são ótimos para uso ocasional, enquanto outros são feitos para burlar restrições de localização que algumas empresas aplicam. Também tem aqueles destinados a pessoas que adoram fazer download e querem um pouco de privacidade enquanto baixam. Aqui está o que você deve ficar de olho:

  • Protocolos: enquanto pesquisa por um serviço de VPN, é possível dar de cara com termos como SSL (chamado às vezes de OpenVPN), TLS, PPTP, IPSec, L2TP e outros tipos de VPN. Conexões SSL são as mais usadas atualmente e todos esses protocolos fornecerão uma conexão segura. De qualquer forma, a maior parte dessas soluções passa despercebida para o usuário final. Cada protocolo tem seus prós e contras, então se você está preocupado com isso, talvez já esteja ciente dos problemas (como vulnerabilidades PPTP). A maioria dos usuários não precisa se preocupar com isso.
  • Locais de saída: dependendo do uso que você deseja fazer da VPN, os locais de saída que o serviço oferece são detalhes importantes a considerar. Se você deseja burlar filtros de localização e assistir canais de TV do Reino Unido (por exemplo), tenha a certeza de que o provedor da VPN tem servidores no Reino Unido. Se está preocupado com sua privacidade e quer evitar que o governo bisbilhote sua conexão, pode ser uma boa ideia escolher servidores fora do país onde você mora. Da mesma forma, se o serviço tem sede nos Estados Unidos, eles estão sujeitos às leis desse país e podem forçar o provedor a passar informações para as autoridades quando solicitado. Muitas pessoas se importam com isso mais do que o necessário, mesmo quando não apenas os Estados Unidos tem essas regras. Mas é importante ter certeza de que o serviço de VPN tem servidores em múltiplos locais ou ao menos nos lugares que você tem interesse.
  • Registro de informações: quando você se conecta a um serviço de VPN, está confiando seus dados a ele. Sua comunicação pode estar segura contra interceptação, mas outros sistemas na mesma VPN podem registrar informações caso desejem. Se isso te incomoda, não deixe de ler as políticas de registro de informações antes de se cadastrar. Dizem que VPNs localizadas nos Estados Unidos são obrigadas a manter um registro, o que não é verdade, mas de qualquer forma o governo de qualquer país pode requisitar qualquer registro que for mantido pela empresa, desde que ela tenha alguma representação nele.

  • Proteção contra vírus e spyware: apesar de toda segurança fornecida por uma VPN, isso não significa que você está livre de toda e qualquer ameaça. Tenha sempre certeza de que o site usa HTTPS onde for possível e tome cuidado com o que você baixa. Alguns serviços de VPN incluem um programa que escaneia o que foi baixado para ter certeza de que nada está infectado.
  • Aplicativos móveis: você deve conseguir uma experiência consistente, seja num desktop ou num smartphone. A maioria dos provedores oferece soluções para desktops e dispositivos móveis, porém VPNs de escolas e empresas podem não estar no mesmo passo, mas estão chegando lá. Busque não utilizar duas VPNs diferentes com dois termos distintos só para poder usar no seu smartphone e no seu notebook.
  • Preço: não deixe de olhar com atenção a política de privacidade e os termos de serviço do provedor que você está interessado e esteja ciente das diferenças entre a versão gratuita e a versão paga. Serviços gratuitos podem vir a registrar suas atividades e direcionar anúncios com isso. Eles também podem oferecer menos locais de saída e se importar pouco com sua privacidade. Eles podem até oferecer recursos incríveis, mas se privacidade for importante para você, é melhor evitá-los. Serviços pagos levam sua privacidade mais a sério, já que você está pagando pelo serviço. Anúncios não são comuns aqui, porém o registro de suas atividades varia de empresa para empresa. Em geral, elas oferecem teste grátis para você experimentar, mas lembre-se: só porque você está pagando, não significa que precisa ignorar tudo o que leu até aqui. A mistura de bons recursos e preços atraentes fazem um serviço de VPN ser considerado bom, mas existem muitos serviços ruins se passando por bons. Procure artigos escritos por fontes confiáveis, que discutem os méritos baseados nos recursos.

Não que a internet seja lá a coisa mais segura do mundo, mas, tenha muito cuidado ao utilizar esse tipo de serviço, a minha dica é, ESPERE AS 48 HORAS, você não vai morrer.

Artigo completo

Extra:

https://torrentfreak.com/which-vpn-services-take-your-anonymity-seriously-2014-edition-140315/2/

A importância de uma NAT e de uma VPN para a segurança da informação

 

Siga a Kryp nas redes sociais
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *