,

E-commerce – 4 tendências para o próximo período

De acordo com a pesquisa divulgada pelo Google, o e-commerce deve dobrar a participação do faturamento no varejo até 2021, com uma média de crescimento de 12,4% ao ano. Isso significa que, em 5 anos, as vendas online podem chegar a R$ 85 bilhões! Em 2017, segundo Ebit (reputação de lojas virtuais e dados para o mercado online), a previsão era de um aumento de 12%.  

Lembrando da importância do omni channel, que nada mais é do que uma tendência do varejo baseada na convergência entre todos os tipos de canais usados pela empresa (saiba aqui porque a sua empresa deve atender fisicamente e virtualmente). Afinal, consumidores multicanal gastam até 40% mais e são mais fiéis do que aqueles que compram por apenas um canal.  

E-commerce é a abreviação de “eletronic commerce” que, na tradução literal significa “comércio eletrônico”. É um modelo de comércio virtual através de plataformas como computadores, smartphones e tablets, que nasceu juntamente com a internet. 

Você que pretende investir em lojas virtuais, estão listadas aqui 4 tendências para se inspirar: 

1. Omni Channel 

É uma tendência do varejo, como já dissemos antes (saiba mais aqui!), que integra e entrega ao consumidor a experiência de compra multicanal. Não há barreiras entre o online e offline, pois ambos se complementam. Um exemplo clássico disso, é fazer a compra online e retirar no local físico, ou o contrário. 

2. Inbound Marketing 

No começo muitos e-commerce não utilizavam essa técnica, por ser passiva e demorar mais para fechar a venda. Mas hoje a tendência é aumentar o uso, já que a experiência do usuário é muito mais satisfatória através do inbound, afinal, ele não aguenta nem 12 segundos de propaganda no YouTube, quem dirá propagandas diretas o tempo todo, né?  

A venda não é direta, primeiro há o processo de atração do cliente potencial, relação, interação, conteúdo relevante, para que ele sinta necessidade e interesse em comprar.  

Entenda melhor a diferença entre inbound e outbound marketing no nosso ebook. 


3. Inteligência Artificial 

Muitos softwares e plataformas de inteligência artificial tendem a ser mais usados no e-commerce, com o objetivo de reduzir custos e falhas humanas. 

Muitos processos podem ser automatizados, como:  

  • Precificação; 
  • Previsão de comportamento do cliente; 
  • Gestão de inventários; 
  • Detecção de fraudes; 
  • Ações de marketing; 
  • Recomendação de produtos. 

4. Aplicativos Mobile 

Muitos e-commerces pretendem investir em aplicativos mobiles próprios, com outros intuitos, além da representação da loja física, como, por exemplo, interagir, entreter e promover relacionamento entre os clientes. Isso é fundamental, afinal, segundo a pesquisa do Google, a participação dos smartphones no e-commerce será de 41% em 2021. 

Você que pretende ter um e-commerce ou já tem e quer melhora-lo, se liga nessas dicas para não ficar de fora do mercado, que está cada vez mais competitivo! 😉

Siga a Kryp nas redes sociais
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *